SLIDER
16/11/2017 às 11:20:16

Filas de exames devem ser zeradas até o final do ano em Itajaí

Até dezembro, redução é prevista para endocopia, colonoscopia e ecocardiograma

1

Para zerar essas filas e dar mais agilidade aos procedimentos, a Secretaria de Saúde de Itajaí deu início a um mutirão de exames e consultas em maio. Até setembro foram feitos quase 16 mil exames, dos 29 mil que estavam reprimidos desde 2013. No período foram zeradas as filas de ressonância magnética, tomografia, espirometria e doppler de membros inferiores. O mutirão também reduziu significativamente as filas de endoscopia, colonoscopia e ecocardiograma, que têm perspectiva de serem zeradas até o fim do ano.

Em relação às ultrassonografias, que eram uma grande demanda reprimida nas unidades de saúde, foram realizados 7.200 exames de 15 de maio a 13 de novembro de 2017. Nesse período, a Secretaria também realizou por meio de mutirão 328 consultas com dermatologista e 160 consultas com neurologista.

Os números poderiam ser ainda mais expressivos, porém o índice de faltas a exames e consultas gira em torno de 30%, prejudicando quem está na fila por um procedimento. Outra dificuldade da Secretaria de Saúde está na contratação de prestador para realizar os exames de nasofibroscopia. A previsão é fazer um mutirão para este exame em 2018.

Mutirões para desafogar fila de cirurgias

Atualmente, as cirurgias de média complexidade são o principal gargalo da Secretaria de Saúde de Itajaí. Isso ocorre porque o Hospital Marieta Konder Bornhausen é referência para alta complexidade e não consegue dar conta da demanda de média complexidade da região. Por isso, em outubro a Secretaria firmou um termo de cooperação com o Hospital de Massaranduba para realização de cirurgias gerais, de proctologia, de ginecologia e urologia. No primeiro mês, 60 pacientes realizaram consultas e 30 fizeram as cirurgias – outros 30 ainda farão retorno no hospital para realização do procedimento.

O município também inicia neste sábado (18) um mutirão de cataratas no Hospital Marieta com recursos estaduais. Até o fim do ano serão realizadas 270 cirurgias de catarata - um dos procedimentos que tem grande demanda na cidade. Além disso, no hospital de Nova Trento já estão sendo feitas cirurgias de joelho e no Hospital de Camboriú devem iniciar as cirurgias ginecológicas para o município.

A Secretaria de Saúde ainda segue em busca de outros hospitais parceiros para realização de cirurgias de média complexidade. A principal dificuldade é na pactuação de cirurgias de otorrinolaringologia, ortopedia e cirurgia vascular. Outra reivindicação de Itajaí nessa área é para que o Governo do Estado aumente a pactuação da quantidade de cirurgias para a região, que atualmente não atende a demanda da população.

Comentários